TRATAMENTO OCLUSIVO DA PSORÍASE

A. Sousa Basto

Médico Dermatologista

Na década de 80, o dermatologista Ronald Shore referiu-se pela primeira vez à eficácia do método oclusivo no tratamento das placas de psoríase (1). A aplicação de uma película oclusiva impermeável de forma contínua durante cerca de uma semana fazia regredir as placas de psoríase logo na primeira aplicação (2). Em alguns doentes foram necessárias 2 e mesmo 3 sessões. Também verificou que se a placa fosse hidratada antes da oclusão os efeitos eram mais evidentes.

Outros autores descreveram mais tarde os benefícios do método oclusivo após aplicação de corticoides tópicos, em diversas afecções inflamatórias, incluindo a dermite atópica e outros estados eczematosos crónicos (3).

A técnica oclusiva estava sobretudo indicada no tratamento de placas isoladas, mas não era muito aliciante para lesões múltiplas e/ou extensas, devido ao tempo que se perdia com a sua aplicação. Esta foi a razão porque andou um pouco arredada da prática médica, até ao aparecimento de fatos apropriados que tornaram a sua utilização muito mais prática e cómoda, aumentando de forma significativa a adesão dos doentes aos tratamentos tópicos de diversas dermatoses.

O mecanismo de actuação da oclusão não está completamente esclarecido, pelo que todas as explicações são especulativas. No entanto, o incremento da sudação cria um estado de hiperhidratação da epiderme que contraria a proliferação desmesurada das suas células, os queratinocitos, efeito que é potenciado pela aplicação prévia de um emoliente ou um hidratante.

Há pelo menos quatro efeitos da oclusão que podem ser relevantes relativamente à psoríase. A oclusão diminui a actividade mitótica da epiderme, interfere na restauração da camada granulosa, previne a paraceratose que é factor de desidratação e hiperhidrata a camada córnea, facilitando a descamação. (4)

Sang Min Hwang e colaboradores atribuem os benefícios da oclusão ao efeito sobre as estruturas lipídicas do estrato córneo, melhorando a função barreira alterada, assim como o gradiente de cálcio. (5)

Nas dermatoses em que está indicada a utilização de medicamentos deve ser consultado o médico assistente, pois a aplicação de certos princípios activos sob oclusão pode aumentar de forma significativa a sua absorção transcutânea, podendo alcançar níveis pouco recomendados.

Recentemente foram introduzidos no mercado nacional pijamas oclusivos que vieram facilitar significativamente a utilização da técnica oclusiva em grandes extensões corporais, permitindo a utilização de emolientes, hidratantes e medicamentos tópicos em situações de secura cutânea e em dermatoses inflamatórias crónicas de que é exemplo a psoríase, evitando-se em muitos casos a prescrição de tratamentos sistémicos e os seus eventuais efeitos adversos.

1 Shore RN. Clearing of psoriatic lesions after the aplication of a tape. N Engl J Med 1985;312:246

2 Shore RN. Treatment of psoriasis with prolonged application of tap. J. Am

Acad Dermatol 1986;15:540-541

3 Volden G. Successful treatment of therapy-resistent atopic dermatitis with

clobetasol propionate and a hydrocolloid occlusive dressing. Acta Derm

Venereol (Stockh) 1992;176 (suppl):126-128

4 Griffiths CEM et al. Prolonged occlusion in the treatment of psoriasis: a clinical

and immunohistologic study. J Am Acad Dermatol 1995;32:618-622

5 Sang Min Hwang et al. Basis of occlusive therapy in psoriasis: correcting defects in permeability barrier and calcium gradient. Int J Deramatol 2001;40:223-231

 

Conheça os produtos SKINTOSKIN indicados para este problema